Manter um Clássico – “Já não há peças”

DSC01699.jpg

Toda a gente já teve oportunidade de proferir/ouvir pelo menos dois ou três dos inúmeros mítos e piadas que rodeam o universo do automóvel clássico. Como já devem ter percebido pelo mote deste blog, o meu objectivo é desmistificar, um a um, todos esses mitos sobre o dia-a-dia com um clássico. Hoje vou falar sobre um deles: A suposta inexistência de peças de substituição para carros antigos. Dita a giria popular o seguinte: “Não interessa se o teu carro faz parte de uma série de produção de 5 ou 10 milhões de unidades. Se é antigo, todas as peças ter-se-ão miraculosamente escapulido da face da terra, e nunca mais serão acessíveis ao comum dos mortais.

Este é um dos mitos que afastam o cidadão comum dos clássicos: Aquela malvada piada: “Já não encontras peças para isso pá!”. Esta expressão é tão popularmente generalizada que já pensei aproveitar o meu lanço de pseudo-escritor e lançar a minha própria colecção de livros de aventura. Já estou a imaginar algo do género “A saga do último Farolim”, “Em busca da grelha perdida”. “A fuga da junta da colaça”, “Um quadrante chamado D. Sebastião” entre outros… (Se pertences a uma editora de livros, estou aberto a propostas!)

99% das vezes existe uma solução para o teu problema. No entanto, essa percentagem é proporcional à tua vontade, tempo e dinheiro para encontrar a solução.

IMG_20160205_133717
Fotos do material, antes de ser limpo.

Recentemente o meu Starlet teve que ir à inspecção. Antes disso, deixei-o na oficina para fazer um check-up geral ao carro. Assegurado de que o Starlet estava em muito boas mãos, aproveitei o “tempo livre” para procurar algumas peças que me faltavam para restaurar o carro à sua condição original. Nomeadamente: Centros das jantes, palas dos guarda-lamas, calhas do tejadilho (mal geral dos ep70) e ainda um farolim traseiro para substituir.

Tudo o que me separou das peças foi um computador com acesso à Internet e um telemóvel.

DSC01691.jpg
Fernando Cardoso, amigo e aficionado por carros italianos que conheci no Caramulo Motorfestival.

Não existe uma fórmula única para procurar peças. Cada caso é um caso, e às vezes tens que ser um pouco criativo para encontrares o que precisas. No entanto, deves-te lembrar que qualquer pesquisa é sempre feita em dois vectores: Procura (expores as tuas necessidades a potenciais vendedores) e oferta (procurar o que já existe à venda). No meu caso, comecei a minha procura em duas frentes: Sites de vendas/leilões (Olx, Custo Justo, eBay) e grupos de Facebook (Toyota Starlet PT; Grupo oficial Toyotistas.com; Toyotistas OldSchool; Toyotistas; Team Toyota Portugal; Compra e venda de peças de automóveis antigos). O primeiro ataque foi feito no Facebook, visto que as respostas ao meu post iriam sempre demorar a surgir. Enquanto isso, fui pesquisando paralelamente no OLX, CustoJusto e eBay. Se és membro activo nos grupos de facebook que indiquei, dever-te-ás lembrar disto:

Post Starlet
Spamei este post sem dó nem piedade em todos os grupos que achei pertinente, e os resultados foram incríveis. Quero dar um agradecimento especial a todos os que me contactaram com ofertas ou sugestões de como encontrar as peças. Consegui! Foi também durante estes contactos que me pude aperceber que, como em tudo na vida, existem diferentes tipos de vendedores:

  • Os ideais (Um contacto simples e a venda efectua-se)
  • Os políticos (Convencem-te que têm todas as preças que precisas, mas não têm nem uma)
  • As divas (“Não respondo a mails, nem a mensagens, nem a números desconhecidos”) Contacto por telepatia, aceita?
  • Os tímidos (Colocam informações, mas sem fotografias)
  • Os fotógrafos de moda (As fotografias só mostram as partes boas)
  • Os que vão de férias (Publicam o anúncio e nunca chegam a responder a propostas)
  • O neto de 4 anos do vendedor (Pior que o nível gramatical e erros ortográficos do anúncio, só as peças que está a vender)

Feitos todos estes contactos, e com alguma paciência, chegou-me tudo a casa via entrega à cobrança via correios, por um preço bem mais baixo do que pagaria por peças de um carro moderno. Um final feliz.

SONY DSC


Para terminar este post, e em jeito de glossário, deixo aqui todas as categorias e entidades que contactei na minha procura. Algumas delas aplicam-se apenas ao universo Toyota, mas outras são aplicáveis a qualquer veículo de qualquer marca. Devo avisar também que fiz a minha pesquisa a partir de Aveiro. Espero que isto possa ser útil a alguém que também ande à procura de peças para o seu clássico:

 

  • Sucatas e centros de abate
    • Impor2000 (Cacia)
    • Brás e Azevedo (Braga)
    • Rocha, Mota e Soares (Canelas)
  • Lojas e vendedores de peças
    • Arviauto (Vila Real)
    • Toniauto (Sever do Vouga)
    • Chapicar (Águeda)
    • SSGarage (Porto)
  • Online
    • Grupos Facebook (Toyotistas, Toyota Starlet PT, Peças carros antigos…)
    • OLX (Peças e carros para peças)
    • Custo Justo (Peças e carros para peças)
    • eBay (Peças novas e usadas)
    • Fóruns (Não cheguei a usar)
  • Feiras e exposições
    • Salão Automóvel Clássico Aveiro
SONY DSC
Francisco, mais um bom amigo que fiz no Caramulo Motorfestival.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s