A Estrada Real EN2 – Dia 2 (Régua-Viseu)

Dia 2 (150km)
Régua-Lamego-São Pedro do Sul-Viseu

O dia começou bem cedo na pensão “Casa Cardoso”. Talvez cedo demais para os restantes hospedados. Nós 3 sofremos daquele síndrome de estupidez matinal que nos faz rir sem motivo e pensar no que não se deve pensar, como por exemplo: Diferentes formas de assaltar frigoríficos, dado que não havia pequeno almoço para ninguém.

Acabámos por ir comer a um tasco no centro de São Martinho de Mouros, num daqueles sítios onde todo o léxico além de “aguardente, iscas de fígado, bifes de cebolada e broa” é visto como dialecto estrangeiro. Previsivelmente, “torrada” e “galão” foram alvo de um olhar estanho.

Arrancámos finalmente em direcção a Lamego, pelos trechos de estrada mais bonitos que já vi.

Irónico como a melhor forma que encontrámos de andar a pé, foi organizar uma viagem de carro. Durante este dia 2 acabaríamos por andar cerca de 11km a pé, cada um. Passo a explicar:

SONY DSC

Vêem? Está explicado.

O que vêem na foto é apenas um terço (no pun intended) da escadaria da Nossa Sra. dos Remédios em Lamego. Quem já esteve no Bom Jesus em Braga perceberá. O melhor de tudo é chegar lá cima de tronco à mostra prontos para o grito do ipiranga e apercebermo-nos que está a haver um casamento de emigrantes. O 4º casamento que vemos durante a viagem. (Por motivos de pudor, selecionei uma das fotos em que ainda não estamos sem roupa da cinta para cima) 

Antes de nos arriscarmos nesta escalada fizemos uma visita à torre de menagem de Lamego, e visititamos o centro histórico dentro e fora das muralhas. Sítios obrigatórios a visitar.

Com o apetite mais aberto que o do carburador do Starlet, almocei um bom prato de vitela com raspas de presunto à moda da terra no “Restaurante Novo”, mesmo em frente à Catedral. O João almoçou uma salada, mas é segredo.

De depósito cheio, seguimos para a próxima paragem que a Eva nos mandou (Eva é o nosso GPS, porque precisamos de um nome para insultar quando nos perdemos): São Pedro do Sul. As termas situadas nesta região são imediatamente reconhecíveis pelo seu estilo arquitectónico e pintura característica. Felizmente, todos temos menos de 60 anos e ir às termas ainda não consta nos nossos planos de férias. Fomos antes para as piscinas de Gerós, mesmo ali ao lado. Acreditem ou não, foi o meu primeiro mergulho do ano.

Fazia-se tarde e foi hora de partir para Viseu, onde pernoitamos em casa da Marta, grande amiga que conhecemos na Universidade. Fomos recebidos pelos pais, sempre simpáticos, de uma amabilidade incrível e sempre prontos a contar mais uma história. Antes de nos deitarmos tivémos ainda tempo de dar um salto à Feira de São Mateus, a feira franca mais antiga da Península Ibérica. As feiras francas já não são o que eram e como tal, os cavalos foram substituidos por carrinhos de choque, as tabernas por roulotes de farturas e a música medieval por “Esta m* é ké boa” tunts tunts. Consta que houve uma concentração de Clássicos lá durante o dia, mas não cheguei a tempo.

SONY DSC

Dia 3 (180km)
Viseu-Pedrógão Grande

 

Anúncios

2 thoughts on “A Estrada Real EN2 – Dia 2 (Régua-Viseu)”

  1. Já fiz a EN2 de Vila Pouca de Aguiar a Montemor-o-Novo num dia, viagem brutal que vou querer completar um dia destes. Boa sorte com a Eva que indica sempre o melhor caminho assim como as placas, que não ajudam muito a quem simplesmente quer ir pela Nacional 2 e não por um IP qualquer. Aproveitem e boas curvas que há muitas hehe

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s